FESTIVAL BAR EM BAR É 10 REAIS NO RN

 

Abrasel RN movimenta seus associados durante o Festival Bar em Bar.

O bom e velho tira-gosto será o prato mais desejado em território nacional durante um mês, graças à 6ª edição do festival "Bar em Bar", que começou ontem, dia 03 (quinta-feira), e irá até o próximo dia 04 de dezembro. Promovido através de uma parceria entre a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Ambev, Cachaça 51, SEBRAE, BNB o projeto abrange todo o país, reunindo 409 estabelecimentos em torno de um objetivo comum: oferecer diferenciados petiscos de bar a preços promocionais. Este é o primeiro ano em que Natal participa do roteiro. Em Natal, 16 estabelecimentos estão participando do "Bar em Bar": Paçoca de Pilão (Pirangi), Tábua de Carne (Via Costeira), Galo do Alto, Chinatown, Fast Grill, Botequim Tá na Hora, Tom Maior Botequim, Jobim, Pitanga, Brocoió e Cangalha. "Criar pratos novos é também uma forma de renovar o cardápio e atrair o cliente através de uma novidade", afirma Max Fonseca, presidente da Abrasel/RN e também proprietário de restaurante.

Entre alguns dos pratos que poderão ser saboreados durante o festival, estão o "chiclete" de camarão do Galo do Alto (camarão refogado gratinado com queijo, manteiga e requeijão); o escondidinho de paçoca do Paçoca de Pilão; o bolinho de carne de sol e charque do Tábua de Carne, e o Tom Maior Botequim com seu Macaquinho de feijão verde com carne de sol, entre outras iguarias.

Segundo Max Fonseca, o "Bar em Bar" também funciona como uma forma de abrir a temporada de alta estação entre natalenses e turistas. "Em época de férias e confraternizações, um evento como esse estimula o consumo", analisa.

Para Paulo Solmucci, presidente-executivo da Abrasel, o festival tem vários trunfos. "Ao estabelecermos um valor acessível para os petiscos, proporcionamos aos consumidores a chance de conhecerem as delícias da culinária de nossos bares, única no mundo. Ao mesmo tempo, o preço baixo atrai pessoas, representando uma chance para os empresários conquistarem novos clientes", disse. Solmucci afirmou ainda que durante o "Bar em Bar", o movimento dos bares deve crescer 30%, podendo chegar a 100% nos dias de semana - que normalmente costumam ser fracos.