rn.abra

Reajuste de até 40% iria começar a ser cobrado nesta terça-feira (1) em todo o país



Representações no Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) e no Banco Central, ações junto a congressistas, campanhas em redes sociais e até invasão na tradicional live das quintas-feiras do presidente Jair Bolsonaro. A Abrasel não poupou esforços para sensibilizar a Mastercard e evitar o reajuste de até 40% na taxa cobrada em transações com a maquininha de cartão nos bares e restaurantes do Brasil. Após a mobilização, foi firmado um acordo e a empresa cancelou o reajuste, que seria aplicado a partir de 1º de outubro.

“Estamos dando por encerrado o assunto. Chegamos a um bom acordo para todos e, principalmente, para os milhões de consumidores que, diariamente, demandam serviços de bares e restaurantes em todo o país”, diz Paulo Solmucci, presidente executivo da Abrasel. Uma boa notícia para um setor que conta com mais de 1 milhão de estabelecimentos e emprega mais de 6 milhões de pessoas no Brasil.

Comentários